Por que não esquecemos Rosie the Riveter ?



Olá Pessoal! Tudo bem? Hoje nas Pílulas Pin Up trago pra vocês um pouco da história dessa imagem icônica da cultura norte americana e que com certeza vocês já viram muitas garotas que curtem o pin up style, se trajando como ela e repetido seu gesto clássico.


(Via Google)
Rosie de Riveter na verdade, foi uma imagem criada pelo artista  J. Howard Miller para a empresa Westinghouse Company. O interessante é que essa imagem é produzida na década de 40 onde o mundo está enfrentando a Segunda Guerra Mundial e economia precisa se adaptar substituindo os trabalhadores masculinos que estão no front, pelas mulheres que anteriormente estavam em sua grande parte confinadas ao espaço doméstico.

(Fonte: http://iddavanmunster.blogspot.com.br/)

 O fato é que com as fábricas repletas de trabalhadoras mudou a ordem das coisas pra sempre. Mesmo com o fim da Guerra, as mulheres não abandonariam o mercado de trabalho e uma nova ordem social e econômica se configuraria.

(Via Google)

 Porém ainda na década de 40, Rosie de Riveter, numa tradução literal, Rosie a rebitadeira, não era uma imagem voltada para o empoderamento feminino, mas sim para incentivar a massa operária que trabalhava nas fábricas produzindo munição e outros armamentos de guerra.

(Via Pinterest)

Mas quem seria o rosto por trás de Rosie the Riveter? Não sei se vocês sabem, mas as imagens de pin up clássicas que vemos por aí, eram feitas a partir de fotos de modelos, que depois ,grandes artistas como Gil Elvgren, AlbertoVargas entre outros , pintavam a imagem das pin ups tais como as fotos, que seriam depois usadas para os mais diversos fins publicitários. (Sobre este assunto aguardem as próximas PÍLULAS PIN UP...)

(Via Google)

Geraldine Doyle, modelo norte americana que chegou a trabalhar numa fábrica durante a Guerra foi quem teve seu rosto eternizado em Rosie the Riverter. Geraldine na imagem preto e branco um pouquinho mais velha,e no auge da carreira de modelo.

(Via Google)
O fato é que o mundo nunca mais voltou a ser o mesmo após o término da Guerra e o movimento feminista , décadas depois se apropriou da emblemática imagem de Rosie the Riverter como um símbolo do poder das mulheres.

(Via Google)
Usado por mulheres de toda de parte do Planeta, Rosie nunca morre. Aqui uma releitura com a mulher do presidente dos EUA, Michele Obama.

(Via Google)

A cantora Pink numa versão bem humorada da Rosie, e abaixo a cantora Beyonce que publicou sua versão em seu Instagram e tomou chumbo da crítica do jornal de The Guardian.

(Via Google)

(Via Google)

Versão zombie também por que não? rss


Hoje em dia usamos o estilo Rosie de Riveter para diversão, com ou sem consciência, do que essa imagem representa, e também assistimos a construção de novos significados desta imagem icônica. Aqui em Curitiba, uma campanha foi criada para combater o abuso de mulheres dentro dos ônibus que circulam pela cidade, "Eu não tolero abuso" se apropria mais uma vez de Rosie the Riveter:

(Fonte: http://www.curitiba.pr.gov.br/busaosemabuso/)
No Instagram da Prefeitura quem quiser postar sua Rosie com a conotação da campanha é só usara #busaosemabuso.
É essa Pílula chegou ao fim e espero que tenham gostado. Quem quiser compartilhar esse post é só clicar no share (retângulo laranja ao fim da postagem) que abre a opção da rede social que você quiser).
bjkas Paty Molina
Nada Fubanga: encontro de paixões, comunicação, arte, história, pessoas!

2 comentários:

  1. Muito bacana o texto Patricia. Nós mulheres que protagonizamos a história devemos mesmo ser sempre relembradas, e conhecer nossas antecessoras, e saber um pouco mais de suas trajetórias, fazendo referência a nossa contemporaneidade. Gostei da pílula!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...